quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Por favor, enfie o seu "você está levando para o lado pessoal" naquele lugar (=^ _ ^=)

Eu estava lendo esse post de Leda (e eu realmente gostaria que você lesse também, porque acho que ler isso vai te ajudar a compreender melhor esse post) e isso me fez pensar. Eu já lidei com todas essas críticas. Embora eu seja uma garota sortuda e eu tenha recebido muito amor de diversas pessoas, muitas delas que me são completamente estranhas, eventualmente há quem diz que eu deveria ser menos inflamada, me doer menos, levar menos para o lado pessoal. É apenas internet, me disseram, não se deixe afetar por isso. Engraçado. Eu não sabia que o mundo deixava de ser mundo na internet. Eu não sabia que eu tenho condições de não levar discussões sobre feminismo para o lado pessoal. Eu não sabia que eu tenho o privilégio de falar sobre misoginia e racismo de forma plenamente racional, como se eu não fosse afetada por essas coisas.

Acho especialmente cruel quando pessoas me dizem para eu não levar para o lado pessoal. A impressão que eu tenho é que acham que eu passo meus dias discutindo feminismo no Twitter e escrevendo posts e mais posts e mais posts sobre misoginia ou transfobia ou privilégio branco porque "eu quero". Porque "é divertido" e eis aqui a novidade: não é. Não é divertido para mim eu abrir o bloco de notas e tentar traduzir a minha raiva e decepção com a humanidade em palavras coerentes. Eu não estou aqui escrevendo compulsivamente porque "é legal", mas porque é necessário e porque não sei viver de outra maneira. Não tenho mais condições de simplesmente dar as costas e ir viver minha vida, e não tenho esse privilégio de fingir que o patriarcado não existe, por exemplo. Eu vivo esse patriarcado 24h, 7 dias por semana. Eu NÃO TENHO essa escolha linda e maravilhosa de ser mulher duas vezes por semana, das 8h às 12h. Sou mulher integralmente, sinto os efeitos da misoginia integralmente. Não faz sentido você pedir para uma pessoa que vive uma situação marginalizada para não levar "para o lado pessoal". É a vida dela. Não tem como ela separar essas questões e deixá-las reservadas em um campo neutro e impessoal. Quando você pede que ela faça isso, você está sendo uma pessoa estúpida, cruel e extremamente perversa.

Eu participo de discussões do gênero desde que eu uso internet em casa. Isso quer dizer: sete fucking anos de debates pela internet. Eu já lidei com pessoas que me chamaram de satanista por ser atéia, vagabunda por defender o direito ao aborto, lésbica como se isso fosse uma ofensa, perdida, nojenta, pecadora, arrogante e toda uma série de xingamentos piores. Já lidei com homens heteros que tentaram me explicar o que era feminismo e como exatamente mulheres deveriam evitarem serem estupradas, homens gays que despejavam toda sua misoginia em mim, mulheres hetero que me odiavam porque eu dizia que era horrível chamar outra mulher de vadia, mulheres lésbicas que afirmavam categoricamente que não se pode confiar em bissexuais. Já lidei com muita gente pela internet, e lidei com muitos argumentos diferentes, mas todos parecidos no que se refere à estupidez. Então seus argumentos não são originais. Você me falar "não leve para o lado pessoal" não me fará considerar que você está certo por um único instante, na verdade, só me fará ter vontade de arremessar você contra a parede e quebrar todos os seus ossos com as minhas próprias mãos.

"Não me diga para me acalmar" - eu não sei onde encaixar o "fucking" na tradução (fuckyeahsubversivekawaii)

"Não seja emocional" diz você falando sobre como eu deveria lidar com meus direitos reprodutivos ou meu direito básico à segurança ou meu direito igualmente básico de ser tratada como uma pessoa decente pelo Estado, pela mídia, pela sociedade. "Você está sendo sensível" diz você sobre meu sentimento de odiar pessoas que fazem piadas de uma cultura que estupra e mata mulheres como eu todos os dias, o tempo todo. "Não se deixe afetar tanto" diz você para mim que já tenho que respirar fundo e ver o Papa, a bancada evangélica, todos esses simpáticos deputados e senadores, jornalistas e humoristas de stand-up, todos esses caras querendo ditar como eu devo viver minha vida. "Isso é só uma piada" e aqui estou eu querendo afiar uma boa faca de cozinha como meu avô sabe fazer tão bem para matar o primeiro cara que me fizer uma maravilhosa piada satirizando o meu corpo? Ou talvez você queira rir dos meus ciclos menstruais? Deve ser engraçadíssimo atribuir qualquer frase ríspida da minha parte à TPM. Pena que não funciona com todas as mulheres, porque (não sei se você sabe) nem todas as mulheres tem TPM (por diversos motivos: elas podem ter corpos tidos como masculinos e não tem ciclos menstruais, outras apenas tem sorte e não sabem o que é TPM na vida delas) mas tenho certeza que isso não é problema e você deve achar um novo e espetacular argumento para desqualificar cada uma de nós. Você sempre vai encontrar uma maneira de nos desqualificar e que maneira melhor poderia existir a não ser taxar as mulheres de "histéricas"?

"Está nervosinha?"
"Oh lá vem a feminista"
"Tá ficando irritadinha"
"Tá histérica"

Vão se foder.

Vão se foder, tipo, MUITO. Vão se foder porque é pior que ignorância. É pior que "não conhecer o feminismo". É pior porque é cruel, é pior porque é má fé, é pior porque é tão perverso quando você desqualifica qualquer coisa que eu diga usando o MEU emocional, tentando me jogar contra eu mesma, tentando me fazer me sentir culpada por se envolver emocionalmente com as minhas próprias pautas, tentando me fazer horrível por sentir raiva, ódio, mágoa e desapontamento. E não pensem vocês que o fato de eu não ter a minha caixa de e-mails recheada de recados de ódio me fará pensar que as pessoas são totalmente amores e simpáticas. Nesse momento, enquanto eu recebo muito amor e carinho (e sou grata por isso), tenho algumas amigas que frequentemente tem seu ask.fm cheios de perguntas invasivas sobre suas genitálias e ofensas e vejo algumas pessoas sendo ofensivas gratuitamente pela internet. Acredite: estou de olho em vocês, eu sei o que vocês estão fazendo e podem nem ter meu nome ali, mas é o meu gênero, é a minha classe, são as minhas condições ou as condições das minhas amigas que você está ofendendo e, acredite, não vou deixar passar só porque não foi diretamente dito para mim.

"Eu acho que você tem coisas mais importantes para lutar"

Sim.
Isso é só uma piada misógina.
Isso é só um filme transfóbico.
Isso é só um livro heteronormativo.
Isso é só uma novela gordofóbica.
Isso é só um anime que incentiva a cultura de estupro.
Isso é só um caso isolado de homofobia.
Isso é só uma lei que limitará o direito ao aborto.
Isso é só uma sociedade patriarcal, homofóbica, transfóbica e opressora em todos os níveis.
Isso é só a vida inteira.

Então, você com seu discurso lindo e privilegiado de "não vejo raças", "trato mulheres com respeito", "apóio gays, contanto que não fiquem desmunhecando", "respeito quem se dá ao respeito", "eu respeito todo mundo, mas mulher é mulher e homem é homem", "se eu fosse negro, me ofenderia com cotas", "acredito na força do trabalho, não nessas esmolas do governo"... você que perde seu tempo dizendo sobre como feministas deveriam ser razoáveis, calmas, controladas e perfeitamente contidas para te educar, ó nobre pessoa, pacientemente e gentilmente sobre como nós vivemos, você que se magoa quando criticamos publicamente, você que faz beicinho, bate o pé no chão e diz "mas não assim! Não generalize! Não somos todos iguais!", você que vomita seu preconceito disfarçado de intelectualismo, você que ri de Rafinha Bastos e Danilo Gentili, você que se recusa a perceber que tem privilégios que eu nunca terei e que eu não posso "não levar para o lado pessoal"...

... vá se foder.

#BONITA DEMAIS PARA ESSA MERDA

8 comentários:

  1. Por que você faz isso com o meu coraçãozinho? Muito bom o texto, moça. <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Awn, obrigada! Espero continuar fazendo isso sempre com seu coraçãozinho hahaha <3

      Eliminar
  2. LINDO perfeito, sinto sua raiva, sei como é sentir tudo isso, e sim, we're too beautiful for this shit. Manda esses babacas se foderem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é?
      É apenas exaustivo, desgastante demais lidar com pessoas que simplesmente só querem desqualificar o nosso discurso.
      Boring.

      Mandar eles se foderem e seguir a vida, passando em cima deles pra conseguir nossos direitos, se preciso.

      Eliminar
  3. Dona Luna, eu juro, solenemente que se, algum dia conhecer você, vou te dar um abraço apertado cheio de compreensão e identificação única e exclusivamente por causa deste texto, e acredite, quando você discutir com um desses merdas imbecis que a gente não tem como não conviver, lembre-se, você não está sozinha.
    Assinado, Outra Feminazi atéia abortista

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. hahahahahaha <3
      É muito, muito bom saber que não estou sozinha. Isso é uma das coisas que garante a minha sanidade mental: saber que tem gente que está do meu lado, apoiando os mesmos ideais que eu, e é nessas pessoas que tenho minha força.

      Com carinho, feminista atéia satânica que quer destruir a Família hahaha :D

      Eliminar

Se você for amor, tome um chá, sente no sofá, tire uma soneca, fique à vontade que a casa é tua. Se você não for amor, inclusive sendo homofóbico, misógino, transfóbico, racista, etc., eu excluirei sua postagem. Sim, porque aqui é ditadura da minoria e as pessoas que me amam e/ou me lêem não são obrigadas a lerem sua merda. Então pense duas vezes :)