sábado, 15 de junho de 2013

O Estado não nos serve.

Eu fiquei divagando sobre o que ia escrever o dia inteirinho. Mas eu só conseguia olhar para essa foto.
E percebi que, nesse momento, eu não preciso dizer mais nada porque essa foto já disse tudo. Porque nós éramos inofensivos quando estávamos no facebook reclamando da vida. Mas agora somos tão perigosos que precisamos pagar vinte mil reais de fiança se formos detidos - apenas por termos nos manifestado além do espaço que nos era permitido.

E eu acho é bom.
Acho bom que o Estado tenha ficado com tanto medo que tenha fixado a fiança dos manifestantes em vinte mil reais.
Acho bom que o Estado tenha ficado com tanto medo que tenha achado que precisa de um tanque de guerra para conter pessoas comuns.
Acho bom que o Estado perceba que as pessoas não estão mais dispostas a aceitarem os constantes abusos - alta carga tributária para péssimos serviços oferecidos, abuso de poder, escândalos de corrupção, desigualdade social gritante - e que não vão mais engolir o estereótipo do bom brasileiro cordial e pacífico. Você não pode lucrar em cima de uma população para sempre. Uma hora ela vai perceber que simplesmente não consegue mais aguentar.

Vocês acharam que vinte centavos era pouca coisa?
É nada. É praticamente nada diante de cinco séculos de uma história tortuosa. É só a gota d'água em um oceano de coisas erradas e absurdas sobre o nosso país - um oceano que ninguém quer que exista, mas continua existindo. É só a gota d'água - e é disso que vocês estão com medo. Vocês acharam que não iria transbordar se forçasse só um pouquinho. Pois bem, agora transbordou. Vão fazer o quê? Comprar mais um tanque de guerra? Renovar o estoque de spray de pimenta? Mandar os PMs começarem a usar balas de verdade? E então?

Vocês não podem conter uma massa furiosa e cansada dos seus abusos.
Simplesmente não podem, quando parece óbvio que para os excelentíssimos senhores políticos que governam nosso país que o patrimônio público como vidraças, ônibus, postes, muros e coisas do gênero são muito mais importantes do que a dignidade, honra e direitos civis e humanos dos nossos cidadãos. Então é natural que essas pessoas, essas mesmas que vocês acham aceitável cobrar impostos altíssimos e oferecer à elas serviços precários, se revoltem. E não sei vocês, mas eu nunca vi uma revolução feita com abraços e um pedido de "por favor, senhor Estado, pare de me oprimir". Porque o Estado não nos serve - e se ele não nos serve, então tudo o que temos que fazer é obrigá-los a nos servir. Um país com qualidade decente de vida é aquela que o Estado serve ao seu povo, não aquele que o povo serve ao Estado.

Então é isso.
Outro dia, com mais calma e um pouco menos fervor, eu escrevo melhor a respeito. Tudo o que posso dizer apenas é que estou tão, mas tão de acordo com todos esses protestos que só quero que eles continuem - e só parem quando tivermos um Estado que nos sirva. Talvez, só aí, teremos então a nossa eterna promessa do "país do futuro" realizada.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se você for amor, tome um chá, sente no sofá, tire uma soneca, fique à vontade que a casa é tua. Se você não for amor, inclusive sendo homofóbico, misógino, transfóbico, racista, etc., eu excluirei sua postagem. Sim, porque aqui é ditadura da minoria e as pessoas que me amam e/ou me lêem não são obrigadas a lerem sua merda. Então pense duas vezes :)