quinta-feira, 11 de abril de 2013

Como debater com pessoas como eu

fonte: fuckyeahsubversivekawaii
Eu ia escrever sobre o Femen hoje, mas outra coisa acabou capturando a minha atenção: o Mercúrio na Astrologia. Não, o post não é sobre astrologia, é só pra comentar que descobri esses dias que o Mercúrio, na astrologia, fala sobre a sua maneira de se expressar e é esse o meu foco no momento. Eu SEI que é repetitivo, porque já disse isso, mas quero falar de novo. Então. Eu tenho um estilo muito pontual e inflexível quando eu demonstro o que eu penso das coisas, principalmente quando se refere ao feminismo, movimento LGBT, etc. Eu não sou nem um pouco gentil, e não sou uma fã de um estilo mais calmo, de modo que passo por agressiva muitas vezes. Uma amiga já disse que ela ficava feliz por ser minha amiga, porque ela não queria, nunca, que ela estivesse "do outro lado" em um debate comigo. De modo que eu sei claramente sobre como é a minha postura quando eu quero manifestar as minhas idéias e, infelizmente para muitas pessoas, eu não quero mudar essa postura.

Vou ser muito clara quanto à isso: eu sou exatamente desse tipo. Quando eu quiser entrar em um debate, eu vou escrever textos enormes. Se você prefere ignorar absolutamente tudo e me chamar de "arrogante", "agressiva" ou dizer que estou deturpando suas palavras, eu vou assumir que você é uma pessoa covarde que sequer saber interpretar um texto. Se você prefere ficar falando da maneira como seu "oponente" discorre, dizendo "achei agressivo e desnecessário" em vez de falar dos argumentos dele, eu vou assumir que você não tem argumento nenhum pra se contrapor aos do seu oponente. Se você prefere ser um mimizento, a escolha é sua, mas não espere que eu aceite ou concorde.

Toda e qualquer militância é válida. Eu apóio integralmente que as próprias feministas sejam um amor de pessoa e serem absolutamente gentis em seus textos, quase que pedindo "com licença, senhor opressor". Eu apóio integralmente que feministas, transfeministas e toda e qualquer tipo de ativista sejam agressivos e debochem dos seus opressores. Eu apóio, inclusive, as Marchas e o corpo sendo usado como arma e meio de expressão. Apóio flores dadas aos soldados, apóio gritos contra o machismo, apóio qualquer forma de se expressar - contanto que não fira a dignidade de ninguém (machucar, matar, etc). Vejam bem: toda militância é legítima.

E nenhuma deve ser deslegitimada por ser "mais agressiva", ainda mais por pessoas que estão em posição de poder - serem homens, cis, brancos, etc. Eu não vou autorizar que uma pessoa diga à mim como eu devo lutar, muito menos me dar conselhos de como eu deveria ser mais calma ou menos arrogante. Eu não permito que uma pessoa se sinta no direito de dizer para mim, como feminista, que eu mancho a reputação do grupo devido à minha arrogância - apenas porque fui mais assertiva do que se espera de uma mulher. Gostaria de lembrar ainda que ninguém nunca conseguiu direitos em lugar algum pedindo "por favor". Foi preciso gritar e gritar muito para que as minorias sejam ouvidas, e ainda é preciso incomodar para que alguém pense em nos dar atenção. Vocês podem até se incomodar com a Parada Gay e dizer que perdeu seu propósito político, mas se ela nunca fosse feita, os gays não teriam sua visibilidade garantida. Bem como a Marcha das Vadias, o Mamaço, entre outros movimentos. É essencial que as minorias sejam representadas e gritem o quanto for preciso para que isso aconteça.

Então quando você diz para mim que estou sendo agressiva e que isso é prejudicial ao movimento que eu defendo, você não está tirando apenas a minha legitimidade. Você está desqualificando não apenas a minha pessoa e os meus argumentos (que você ignorou), mas todo o movimento que defendo - que só chegou à uma posição de mais ou menos visibilidade devido à muito grito - que você abomina. Então não faça isso. Eu não vou autorizar. Você não pode pautar a minha luta, e nem a luta de ninguém. Não diga à mim que sou muito nova e que vou aprender muito na minha vida - não te pedi conselhos. Não me infantilize. Apenas leia a droga dos meus argumentos e responda-os decentemente.

Nem é pedir muito. É só você ter um cérebro e fazer algo de decente com ele.

essa sou eu pra 4897ª vez que ouço um "cê é muito 8 ou 80, cara, é só uma opínião diferente"
surpresa: não, não é. é dos MEUS direitos que cê tá dizendo que é contra!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se você for amor, tome um chá, sente no sofá, tire uma soneca, fique à vontade que a casa é tua. Se você não for amor, inclusive sendo homofóbico, misógino, transfóbico, racista, etc., eu excluirei sua postagem. Sim, porque aqui é ditadura da minoria e as pessoas que me amam e/ou me lêem não são obrigadas a lerem sua merda. Então pense duas vezes :)