segunda-feira, 11 de março de 2013

Semana 2 - Eu nunca...

Segunda-feira, dia do meme de 52 semanas! :3

Bem, eu nunca...

#1. ..."fiquei" com mais de uma pessoa em uma noite.

Por mais que eu esteja tendo uma vida social envolvendo bares "gays" e bares "hetero" (os gays são mais divertidos, se quer saber minha opinião), eu realmente nunca tive o comportamento nem de ficar casualmente com alguém, muito menos com mais de duas pessoas. Não é nem por "princípios" ou qualquer coisa do gênero, porque não tem nada de errado em você ficar com muitas pessoas em uma única noite, mas é que eu simplesmente sou o tipo de pessoa que não se comporta assim. Sou muito travada em termos de relacionamentos, ainda mais quando eles são casuais. >.<

E então como eu não tenho o hábito de beber nas festas que vou, tendo a ser aquela pessoa que se diverte observando todos enlouquecendo ao seu redor e, no final da noite, acaba colocando os amiguinhos que beberam um pouco demais debaixo do chuveiro. E eu gosto de ser esse tipo de pessoa, porque eu acabo me sentindo útil, no fim das contas.

#2. ...tive uma festa de 15 anos.

Acreditem se quiserem, quando eu refletia sobre ter uma festa de 15 anos (na ocasião) e lembrava da tradição das 15 amigas pra valsar, eu já me perguntava onde é que eu ia arrumar tanta amiga pra vir. Uma festa dessas com um bolo todo enorme e confeitado, um vestido caríssimo pra recepção e outro mais caro ainda pro baile e ainda outro pra dançar normalmente, o aluguel do salão, os salgadinhos, as bebidas, a decoração, a coisa toda custa uma ~fortuna~ e eu sou exatamente o tipo de garota que usa o salário mínimo como parâmetro para qualquer coisa para avaliar se a coisa merece aquele preço. Uma festa que é tipo mais do que um ano inteiro de um trabalhador comum nesse país não é exatamente o meu sonho de consumo. Além disso, tinha a coisa de que você tem que valorizar os 15 anos e isso nunca rolou comigo. 15 anos era uma idade como qualquer outra.

Eu também não pedi por uma viagem. A única coisa que eu, de fato, quis e tive foi uma tatuagem que minha mãe liberou e me deu de presente de aniversário. <3

#3. ...quebrei qualquer parte do meu corpo.

Quando eu tinha uns 13/14 anos, em uma conversa casual com amigos na época, eu declarei que nunca havia quebrado o pé ou a mão, ou precisado engessar nada. E então esses amigos declararam taxativamente que eu não tive infância. Porque eles basicamente pressupõem que se você nunca quebrou nada, é porque não se movimentava e isso significava uma infância triste e solitária. Para começar, eu me movimentava sim. Eu andava de bicicleta com meus primos. Eu brincava de pega-pega na escolinha. Eu apenas tive muita sorte e eu era uma criança que odiava sentir dor, então eu não era dada a fazer coisas estúpidas e muito, muito potencialmente perigosas. Então eu nunca quebrei nada no meu corpo.

E eu era uma criança relativamente quieta. Isso quer dizer que eu passava muito tempo lendo, brincando de Barbie, desenhando e inventando mil e uma histórias. Eu ficava muito bem tendo o espaço de uma sala, dentro de uma casa, apenas para poder criar as minhas coisas. Você não tem muito como quebrar nada do seu corpo nessas coisas. E isso não significava que eu era uma criança infeliz, pelo contrário. As pessoas precisam realmente parar de achar que apenas seus conceitos de infância estão certos e entenderem que assim como adultos, nenhuma criança é igual à outra. Há crianças que amam correrem pelas ruas. Há crianças que preferem ficar no canto lerem. Isso não significa que a infância de um seja melhor ou "mais verdadeira" do que a outra. 

 #4. ...entendi toda essa fixação pelo Um Amor Para Recordar.

Muitas pessoas não sabem disso, mas há uma estranha fixação das garotas adolescentes por esse filme. Sério. Quando eu era mais nova, eu via garotas colocarem esse filme no top 5 de qualquer lista sobre os melhores filmes do universo. Não importava muito se era uma lista de filmes de comédia romântica ou filmes que fazem chorar, Um Amor Para Recordar estava lá. O pior é que eu nunca entendi. Eu vi esse filme uma vez, séculos atrás, e eu realmente o achei muito tosco e não achei que alguém fosse achar aquilo bom, quanto mais um exemplo do amor que querem viver. Então eu realmente nunca entendi todo esse amor que as garotas tem por esse filme '-'

Além disso, eu já vi uma garota compartilhando um trecho da Bíblia e pôs "Um Amor Para Recordar" nos créditos do texto. É um fato super aleatório, mas, por motivos obscuros além da minha capacidade de entender as coisas da vida, me fez ter uma espécie de implicância com o filme além da mera incompreensão do frenesi adolescente ao redor do casalzinho.

 #5. ...assisti Dragon Ball ou Cavaleiros do Zodíaco.

Aparentemente, são um pré-requisito para se ter uma infância plena e feliz. Eu também nunca assisti Hamtaro, Avatar ou Caverna do Dragão.
E eu realmente não sei se isso faz de mim uma estranha, mas sinceramente não me importo. Eu estou bem com as minhas referências de infância :3

só precisei jogar infância + dragon ball pra ver essas coisas de "se vc não via, não teve infância"

2 comentários:

  1. Meu namorado sempre implica por eu não ter visto dragon ball e cavaleiros do zodíaco! Haha
    E, pensando bem, eu devia ter pedido uma tatuagem quando fiz 15 anos... No final não tive festa, nem nada.
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Normal, né? É como se fosse um pré-requisito pra sermos considerados normais, hahaha :)

      Awn, mas talvez onde você more, não tenha como fazer uma tatuagem. Aqui, ninguém tem problema com fazer em menor de idade se tiver autorização dos pais, mas parece que a maior parte do Brasil, nem com autorização é permitido. ;)

      Eliminar

Se você for amor, tome um chá, sente no sofá, tire uma soneca, fique à vontade que a casa é tua. Se você não for amor, inclusive sendo homofóbico, misógino, transfóbico, racista, etc., eu excluirei sua postagem. Sim, porque aqui é ditadura da minoria e as pessoas que me amam e/ou me lêem não são obrigadas a lerem sua merda. Então pense duas vezes :)