terça-feira, 26 de março de 2013

Semana 4 - Minhas citações preferidas são:

OH DESCULPA era para postar ontem, mas eu tive ensaio no horário do almoço e também de noite, de modo que eu não tinha como ficar muito tempo para o, talvez, o post referente ao meme mais trabalhoso que já fiz! Mas terça-feira é uma extensão da segunda-feira, então está tudo bem, certo? Eu realmente precisava voltar a mexer no Photoshop e ando procurando desculpas aleatórias para usá-lo hahahaha. Achei esse meme particularmente difícil, porque eu não sou exatamente a pessoa que elabora uma ordem de favoritismo nas frases que lê por aí, apesar de não esquecer de nenhuma frase. Eu nunca esqueci, por exemplo, nenhuma das frases de Harry Potter (para mim, a melhor é "Só porque algo está somente na sua cabeça não significa que não seja real" que Dumbledore diz ao Harry, no final de Relíquias da Morte. Mas eu acabei nem colocando essa na relação. Aliás, não coloquei nenhuma de Harry Potter). E eu nunca esqueci da frase que está em algum livro da série Brumas de Avalon que é um provérbio comum, eu acho, que diz que se três sabem de um segredo, é melhor que dois estejam debaixo da terra.

Enfim, eu fui pensando aleatoriamente e cheguei à cinco quotes de artistas, livros e animes. Vamos lá! <3


Christina disse isso para a revista Billboard, em 2010, na época que estava promovendo Bionic. Era uma resposta aos haters: qualquer pessoa que sabe um pouquinho do universo do pop americano conhece a quantidade assustadora de pessoas que se empenham cuidadosamente em criticar qualquer coisa referente à Christina. Toda a mídia americana está simplesmente esperando o próximo erro, o próximo deslize e, bem, em 2010 ela foi um prato cheio para qualquer pessoa com vontade de chutar uma ou duas artistas com problemas. O negócio é que Christina é muito mais forte do que essas pessoas que perdem tanto do seu tempo odiando, desprezando e ofendendo uma mulher que não fez nada.

Eu acho essa frase bem sábia até, se parar para pensar. Obviamente nós só nos preocupamos com coisas que consideramos importantes e relevantes. Nós não gastamos um segundo da nossa atenção em coisas que consideramos insignificantes. Então se você é uma pessoa que fica se incomodando apenas com a existência de outras pessoas e resolve desperdiçar seu tempo destilando ódio, o que eu deveria pensar de você?

Para a fanbase de Christina, essa frase tem um efeito bem especial que eu acho um pouco difícil os outros entenderem. Porque é a resposta mais apropriada que tivemos para toda a mídia feita de ódio, feita por aves de rapina, esperando por uma Britney Spears feeling 2007 versão 2.0. Nós conhecemos como a mídia (tablóides, sites de fofoca, programas de entretenimento, etc) é especialmente cruel com as artistas que apreciamos, e sobre como elas precisam se esquivar constantemente de toda a pressão em volta, pelo próximo sucesso ou fracasso. Por mais que Christina tenha diversos problemas, eu, como uma fã de Christina, aprecio muito a força dela diante dessas coisas.


Eu adoro Rowling. Não apenas porque ela escreveu Harry Potter. Eu gosto dela por ela. Gosto das entrevistas que já li dela, das frases que ela dez, da expressão dela meio entristecida quando ela conversa com as pessoas, do olhar meio cansado, do sorriso meio tímido, de como ela conseguiu vencer tanta coisa e se reinveintar por meio da escrita. Em 2008, ela fez um discurso para os formandos da Harvard sobre a importância do fracasso e o poder da imaginação na nossa vida e eu tenho que dizer: é um dos discursos mais bonitos que eu já vi. É simplesmente lindo. Eu realmente recomendo que você leia. (clique aqui para ler o discurso traduzido pela Potterish)

Eu acho essa frase, retirada da parte que ela fala sobre o fracasso, especialmente bonita. É o tipo de frase que realmente me ajuda quando eu estou com medo de errar em alguma coisa. Porque me faz lembrar que se eu não me mover, não irei para lugar algum. E se eu não for para lugar algum, eu continuarei falhando sempre. É como aquela tirinha do monge que já percorreu o facebook inteiro: sabedoria se faz com boas escolhas que se faz através da experiência adquirida com as más escolhas. É exatamente assim que é.

Nâo quero viver de forma realmente cautelosa, tendo constante medo de fazer qualquer coisa. Então o único jeito é arriscar. O pior que pode acontecer é um desastre, dependendo das proporções. Paciência. A vida é feita de desastres.


"- Eu vou amar você para sempre, aconteça o que acontecer. Até o dia em que eu morrer e depois que eu morrer, e quando encontrar meu caminho de saída da terra dos mortos, vou ficar flutuando para sempre, todos os meus átomos, até encontrar você de novo...
- E eu estarei procurando por você, Will, em todos os momentos, em cada um e todos os instantes. E quando voltarmos a nos encontrar, vamos nos abraçar tão apertados que nada e ninguém jamais vai nos separar. Todos os meus átomos e todos os seus átomos... Nós viveremos em passarinhos e em flores, em libélulas e em pinheiros, em nuvens e naquelas partículas de luz que você vê flutuando em raios de sol... E quando eles usarem seus átomos para fazer novas vidas, não poderão pegar um, terão que pegar dois, um de você e um de mim, pois estaremos abraçados tão apertados..."

Esse é o trecho integral que eu suprimi partes para encaixar na imagem. Eu AMO essa trilogia. Só li uma vez, mas mesmo assim: é uma trilogia que eu quero recomendar que todos leiam, porque ela é muito, MUITO amor. Fronteiras do Universo é sobre Lyra que vive num outro universo, paralelo ao nosso, sei lá, e aí ela se envolve numa história que envolve um bendito pó dourado, sequestro de crianças e disputas de ursos pela coroa de príncipe. Enfim, uma viagem. No fim, os três livros acabam abordando um monte de coisa e eu sinto vontade de chorar de tão envolvida que eu fico com os personagens.

Eu não vou explicar o contexto dessa frase porque senão vira spoiler (apesar de que fica fácil deduzir), mas só vou dizer que é simplesmente a parte mais amor no relacionamento dos dois. Porque os dois se amam, e é aquela coisa LINDA dos dois se amarem. Você simplesmente não vê amor maior ali. É aquela coisa de querer abraçar e não soltar nunca mais, de ficar junto com a pessoa pra sempre. E Lyra <3

(essa parada do átomo é porque os livros meio que tem uma filosofia ateísta por trás, e é extremamente poético. Povo acha que ateu não manja das poesias da vida, mas, cara, esses livros provam que a vida continua linda e maravilhosa mesmo sem uma entidade criadora por trás)

"E acima de tudo, há pessoas que tenho que proteger mesmo que custe a minha vida"
Essa frase (as duas, se for contar a que quotei aqui agora) é do mangá de Elfen Lied. Ela não aparece no anime, por razões de: o mangá tem um final totalmente diferente do anime, e essa frase é bem no último volume. Sem querer spoilear muito, mas a frase tem um contexto de tudo ou nada, 8 ou 80, vida ou morte. Lucy/Nyu/sei lá mais que personalidade a mulher é está numa parada muito louca, com uma galera de não sei que organização militar é em volta dela, enfim, um negócio insano.

(vale lembrar que Elfen Lied é famoso por suas mutilações e que a luta mais famosinha é a da pobre Nana perdendo seus dedinhos e depois tendo suas pernas e braços arrancados, membro por membro. O mangá é um pouquinho mais sanguinolento, e o final é particularmente nojentinho)

Essa frase, pra mim, representa a Lucy, a Nyu, as personalidades dentro da pobre criatura que matou muita gente e ainda assim você a ama de coração aberto. Tendo chifres na cabeça, ela sofreu um preconceito enorme, envolvendo bullying pesado tendo até morte de cachorrinho e traição de melhor amiga no meio, sendo considerada um monstro. Problema que ela era realmente de uma espécie diferente, com umas mãos invisíveis que servem de armas e, cara, daí a vida da guria virou um negócio capaz de fazer inveja ao Zodíaco. O negócio é que você a ama. Você a ama sendo assassina, você a ama com ela ferrando a vida de todo mundo, inclusive a do protagonista lá, você a ama sendo tudo isso e mais um pouco. E você a entende. Você entende que o pior de tudo, para ela, não foi ser usada de cobaia num laboratório, não foi ter a infância praticamente roubada pelos bullies, não foi todo o ódio que recebeu só de perceberem que ela tinha chifres. O pior era ficar sozinha. Era que ninguém a amasse. Era que mesmo as pessoas que ela amava não a amassem de volta.

Ela não se importaria de passar por tudo que passou de novo - se pudesse ser amada.
Não tem como não querer abraçar essa menina ali mesmo, gente. Não tem.


Rurouni Kenshin é o meu anime favorito.
Ele tem uma última saga chatíssima, um monte de episódio com histórias soltas e aleatórias, mas eu amo tudo, tudo mesmo. Eu gosto de todos os personagens, até do Yahiko (o guri chato). Eu gosto das músicas, dos diálogos, de toda a lição de moral por trás. O anime, pra quem não sabe, (e o mangá também) é sobre um samurai que matava as inimigas todas na guerra. Era uma época conturbada no Japão, que não tinha muita arma de fogo e tal, então fazia sentido que todo mundo usasse espadas pra se matarem. Kenshin era chamado de "Retalhador" devido ao seu estilo super peculiar que retalhava todo mundo de uma forma super ninja, só que aí, por motivos desconhecidos, ele sumiu. Assim que a guerra acabou, ele desapareceu. Dez anos depois, aparece a pobre da Kaoru tentando salvar o dojo e o estilo de espada do seu pai que é uma espada "para proteger, não para matar" e ela acaba acolhendo Kenshin em seu dojo, sem saber que ele era o Retalhador de anos atrás.

O negócio é que você acaba descobrindo sobre um samurai tentando se redimir, tentando provar que é possível viver seguindo seus princípios mesmo que todo mundo queira foder você com isso. E é Kenshin o autor dessa frase. Eu realmente não lembro em que episódio que isso rola, eu só lembro que estava acontecendo uma luta lá e Kenshin diz isso, porque o amigo quer ajudar lá e Kenshin não deixa. Que existe a luta pela vida e a luta pela honra. E a luta que tava rolando lá era pela honra. Que ninguém devia ajudar. Você pode pensar que isso é no sentido literal, envolvendo espadas e gente morrendo. Mas eu acho que dá pra aplicar na vida.

Existem aquelas batalhas que não dá pra ajudar a pessoa envolvida. Que só ela pode sair dali, sozinha, porque não é questão dela viver ou morrer. Por exemplo, eu penso numa analogia estúpida, mas não consigo pensar em coisa melhor: uma mulher que está sofrendo violência física do marido. Você pode até arrastar ela da casa dela e trazê-la para a sua. Eu, pessoalmente, acho que você deve oferecer sua casa para isso. Você pode ajudá-la a tomar banho, a chorar as mágoas, a limpar os machucados. Você ajudou ela numa luta pela própria vida, porque ela estava literalmente quase morrendo. Mas o fato de você tê-la salvo daquela situação não significa que você a libertou. Porque a única pessoa que pode libertá-la é a própria mulher. Ninguém pode fazer isso por ela. Você pode salvar a vida dela. Mas você não pode pegar a dignidade, honra e todas as coisas boas que constituem uma pessoa e devolver pra ela. Isso é algo que só ela pode fazer, por si mesma.

Existem lutas, na vida, que por mais que seus amigos se sintam incomodados e queiram realmente ajudar empunhando a espada no seu lugar... não dá. Ninguém pode fazer isso por você. Ninguém pode lutar as suas batalhas. Você não pode lutar as batalhas dos outros.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se você for amor, tome um chá, sente no sofá, tire uma soneca, fique à vontade que a casa é tua. Se você não for amor, inclusive sendo homofóbico, misógino, transfóbico, racista, etc., eu excluirei sua postagem. Sim, porque aqui é ditadura da minoria e as pessoas que me amam e/ou me lêem não são obrigadas a lerem sua merda. Então pense duas vezes :)