domingo, 27 de janeiro de 2013

Curse of the Golden Flower: família se fodendo a nível imperial

Fonte: filminspire
 2006 | China | Dirigido por Zhang Yimou

Hoje eu assisti Curse of the Golden Flower, título em inglês prum filme chinês do cara que fez O Clã das Adagas Voadoras (que assisti há séculos e não lembro da história, apenas de ter ficado encantada com as lutas dos carinhas em cima de bambus). Como é um filme chinês, do qual não entendo bulhufas, e ter assistido com as legendas em inglês, que entendo um pouco mais, então devo ter perdido muita coisa da história. Eu entendi que o filme é bonito e é uma filhadaputagem do começo ao fim.

(favor observar que não gravei nome de ninguém)

Basicamente o filme é sobre uma família imperial, com a mocinha sendo a Imperatriz e tal e o Imperador volta, com o filho general, algo assim, que é o segundo. O cara fodão tem três filhos, um com uma mulher lá que morreu (enteado da Imperatriz) e outros dois com a Imperatriz. Aí você saca que a Imperatriz tá doente lá e bebe remédios a cada duas horas praticamente (alegremente anunciadas por uma tropa de empregados dizendo "Hora do Rato!" "Hora do Tigre!" "Hora da Serpente!"). Aí aos poucos você vai se inteirando quem pega quem, quem tem raiva de quem e quem tá querendo matar quem.

Não se preocupe, não vou te contar. É tudo spoiler.

Apenax adianto: não queira ver esse filme se cê gosta de coisas felizes. O filme é drama do começo ao fim. Eu ri muito com muitas partes, mas isso é porque sou ruim e gosto de ver o circo pegando fogo. Além disso, o filme é realmente bonito. Assim, se você não é uma pessoa que simpatiza muito com dourado e vermelho, vai detestar do começo ao fim, exceto por umas cenas lá bem azuis que são fora do palácio. Porque, no geral, o filme é todinho dourado e vermelho. O palácio está se preparando para um festival de crisântemos, então o jardim está todo amarelo, e as pessoinhas só andam de roupas com bordados dourados, e usam coroas douradas, enfeites dourados, maquiagem dourada. Para cê ter uma noção, o BATOM da imperatriz é vermelho e dourado. É uma overdose de ouro até não poder mais.

(mas eu amo dourado e amo vermelho. quer dizer)

A Imperatriz em seu traje simples. Fonte: shhhp
 Eu simpatizei com a atuação de todo mundo. Escolhi aqueles personagens preferidos, achei todos divos (especialmente numa cena épica do Imperador no qual você já adiciona o slogan: L'OREAL PORQUE VOCÊ VALE MUITO) e a fotografia está realmente deslumbrante. Os aspectos técnicos foram trabalhados à exaustão: o palácio, o jardim, tudo é muito bem trabalhado. E o vestuário, gente, o vestuário. Você nunca viu roupas tão douradas em sua vida. Você nunca viu bordados que brilham tanto assim, tecidos tão cintilantes e o estupendo decote que as mulheres usam. Sabe o que é o peito ficar praticamente para fora? Sim, a Imperatriz está para lá e para cá com seus redondos peitos quase para fora, bem como a filha do médico e todo o resto. E, como esse parece ser um critério importante, eu quero ressaltar a beleza de vários atores envolvidos: a atriz que faz a Imperatriz é a que fez Hatsumomo em Memórias de uma Gueixa e eu não sei se você lembra, mas Hatsumomo era conhecida por ser extraordinariamente bonita. Bem, a Imperatriz é lindíssima. Você pode até discordar, quando ela usa a maquiagem pesada e os coques elaborados, mas veja só os momentos que o penteado se desfaz e a maquiagem é mais neutra: é de uma beleza realmente... eu realmente admirei muito. O cara que faz um dos filhos também não é nada mal de se apreciar, especialmente em seus momentos de valentia. E o próprio Imperador... cara, o homem tem olhos meio cinzentos. E fica super bem nele. Ele poderia ser, de boa, o pai da Sayuri (de Memórias de uma Gueixa). E a mocinha que faz a filha do médico também, super cara de meiga se você não curtir muito o ar fatal da Imperatriz.

Enfim, só beleza.

(e eu sei que boa parte da galera ocidental tem problemas em diferenciar um asiático do outro. Nesse filme, não tem esse tipo de problema. Dá pra distinguir muito bem um do outro. A menos que você tenha propagnosia, aí é outro caso)

Resumo da história: filme com fotografia e elenco de derreter de tão bonitos que são, com uma história que gira em torno de uma família que faria super bem em pegar toda a grana daqueles crisântemos e investir em uma terapia das pesadas. Pro resto da vida.

(e tem ninjas. Sério. Se você não quiser ver vermelho e dourado, ao menos veja pelos ninjas. Eles valem a pena.)

ps.: seguem imagens do filme porque achei impossível escolher uma ou duas para ilustrar o post. espero que sua internet seja rápida nesse momento.

Fonte: fantasticpleasures
Fonte: mi9
Fonte: Terry Steiner
Fonte: ionium

1 comentário:

Se você for amor, tome um chá, sente no sofá, tire uma soneca, fique à vontade que a casa é tua. Se você não for amor, inclusive sendo homofóbico, misógino, transfóbico, racista, etc., eu excluirei sua postagem. Sim, porque aqui é ditadura da minoria e as pessoas que me amam e/ou me lêem não são obrigadas a lerem sua merda. Então pense duas vezes :)